Guipuzcoa pretende implementar mais portagens rodoviárias. As autoridades daquela província do País Basco querem estabelecer três pórticos na via rápida A-636.

Em causa está um troço de 15,5 km daquela estrada entre as localidades de Besaín e Vergara. O custo será de 6,13 euros, que é, de acordo com fontes do sector transportador do país vizinho, o dobro da média das auto-estradas com portagem em Espanha. Também os veículos ligeiros serão afectados pelas novas portagens.

O sistema será semelhante ao já usado na N-1 e na A-15 para os camiões, implementado em Janeiro de 2018 e declarado ilegal pelo Tribunal Superior de Justiça do País Basco, mas que a Diputación General de Guipuzcoa mantém em vigor à espera da decisão final do Supremo Tribunal.

A Federação Espanhola de Transportadores (Fenadismer) já criticou, em comunicado, a intenção das autoridadesm sublinhando que os transportadores já contribuem para a manutenção das estradas de Gipuzcoa através dos impostos que aí pagam.

Desde a associação lembram que os postos de combustível localizados naquela província venderam mais de 800 milhões de litros de gasóleo em 2019, a maioria abastecida por veículos de transporte, o que é quase 400% superior à média de outras províncias espanholas com uma frota de transporte semelhante à de Guipuzcoa.

“Isso permite que o conselho provincial recolha cerca de 400 milhões de euros por ano em imposto sobre hidrocarbonetos, dos quais destina apenas um décimo à manutenção de estradas”, critica a Fenadismer.

 

 

Comments are closed.