O porto de Hamburgo cresceu 7,5% no primeiro semestre do ano, com isso ganhando quota de mercado aos concorrentes do Norte da Europa.

O porto de Hamburgo cresceu 7,5% de Janeiro a Junho de 2019, para 4,7 milhões de TEU. Trata-se de um crescimento percentual superior ao de Roterdão (6,4%, para 7,5 milhões de TEU) e ao de Antuérpia (4,9%, para 5,8 milhões de TEU).

Talvez à “boleia” dos ganhos de confiança por haver avanços na tramitação do processo de dragagem do Elba, houve um aumento do número de companhias a escalarem em Hamburgo na primeira metade do ano.

“Onze novos serviços de companhia no primeiro semestre de 2019 tornam óbvio que o porto de Hamburgo ganhou em atractividade para o transporte marítimo e carregadores”, refere, citado em comunicado, Axel Mattern, CEO da Port of Hamburg Marketing.

Vários desses novos serviços são operados pela compatriota Hapag-Lloyd, tendo a transportadora decidido deslocar uma grande parte dos seus volumes do Atlântico Norte, de Bremerhaven para Hamburgo.

Quando anunciou a transferência, a companhia alemã indicou que o porto irá tornar-se “muito mais atractivo para os clientes” após a conclusão do projecto de aprofundamento do rio Elba.

Dragagem arrancou em Julho

A dragagem do Elba arrancou no fim de Julho, colocando fim a um imbróglio jurídico que se prolongou por anos e prejudicou o desenvolvimento do porto de Hamburgo.

Um investimento de 238 milhões de euros permitirá aprofundar e alargar o Elba ao longo de 130 quilómetros. No fim dos trabalhos, o porto de Hamburgo poderá ser escalado por navios de 13,5 metros de calado, podendo chegar aos 14,5 metros aproveitando o movimento das marés. Em termos práticos, adiantam os responsáveis do porto, será possível movimentar mais 1 800 TEU em cada escala.

Hamburgo é o maior porto alemão, mas tem vindo a perder terreno no ranking europeu. Em 2018, movimentou 8,7 milhões de TEU e 135,1 milhões de toneladas.

 

 

Comments are closed.