A expansão de terminais existentes e a criação de novos, a melhoria das acessibilidades marítimas e o reforço das ligações ferroviárias são as “armas” com que o porto de Hamburgo se dispõe a combater a concorrência na captação dos novos megacarriers.

O terminal de contentores da Eurogate (parceira da Mota-Engil na Liscont), o segundo maior do porto alemão, deverá expandir-se para oeste, ganhando mais cerca de 40 hectares e criando três novas posições de acostagem. A frente de cais será melhorada para receber os navios de última geração.

Com tudo isso, o Eurogate, actualmente com uma capacidade instalada de três milhões de TEU, deverá duplicá-la para a casa dos seis milhões de TEU.

O terminal de contentores de Burchardkai também terá a sua frente de cais melhorada e equipada com pórticos “twin-lift”, além de se prever a instalação de pórticos de parque automáticos que permitirá o parqueamento e movimentação de contentores até cinco alturas.

A autoridade portuária planeia igualmente um novo terminal na zona central do porto, denominada Steinwerder. Para isso serão desmanteladas instalações desactivadas existentes no local e encher-se-á a antiga bacia do porto, criando assim uma área de 125 hectares, suficientemente grande para as manobras dos navios de maiores dimensões.

No capítulo das acessibilidades marítimas, prevê-se o aprofundamento do canal de navegação do baixo Elba e também o seu alargamento para permitir o cruzamento dos maiores navios de contentores e graneleiros.

Finalmente o porto de Hamburgo prevê duplicar a capacidade de recepção/encaminhamento de contentores por via férrea, dos actuais 2,6 milhões para os 5,2 milhões de TEU anuais.

 

Os comentários estão encerrados.