Os credores da Hanjin Shipping deverão receber apenas dois cêntimos por cada dólar de dívida reclamada. A companhia sul-coreana, que chegou a ser uma das maiores do mundo, era, afinal, um gigante com pés de barro.

Hanjin-Shipping

Um ano volvido sobre a maior falência da história do transporte marítimo de contentores, os credores da Hanjin Shipping ainda não sabem quando começarão a receber, mas já sabem que não receberão, nem de perto nem de longe, o valor que lhes é devido. Afinal, de venda de activos da massa falida apenas rendeu uns 220 milhões de dólares. As dívidas  reclamadas ascendem a 10,5 mil milhões de dólares.

Ou seja, contas feitas, a venda dos navios, dos contentores, dos terminais controlados pela Hanjin apenas renderam o suficiente para pagar cerca de 2% das dívidas. Por exemplo, a venda dos terminais de contentores de Tóquio, Kaoshiung e Algeciras à também sul-coreana Hyundai Merchant Marine (HMM) resultou num encaixe de uns meros 13,5 milhões de dólares.

A Hanjin Shipping entrou em quebra há precisamente um ano, na altura deixando presos nos seus navios, nos mares de todo o mundo, meio milhão de contentores. A companhia, a maior da Coreia do Sul e uma das dez maiores do mundo, foi declarada falida em Fevereiro deste ano.

 

Comments are closed.