A Hapag-Lloyd registou prejuízos de 603,7 milhões de euros em 2014, num desempenho pior do que em 2013, quando teve perdas de 97,4 milhões de euros.

Hapag-Lloyd

De acordo com a companhia alemã estes resultados foram fortemente influenciados por efeitos extraordinários, com destaque para a aquisição e integração da CSAV e para as imparidades reconhecidas para um conjunto de navios antigos.

Os volumes transportados pela Hapag-Lloyd no ano passado cresceram 7,5%, para os 5,9 milhões de TEU e o preço médio do frete caiu 3,2%, para 1 434 dólares (1 316 euros) por TEU. As receitas cresceram 3,7%, para 6,8 mil milhões de euros. O EBITDA caiu para 98,9 milhões de euros (389,1 milhões em 2013) e os resultados operacionais foram negativos em 112,1 milhões de euros, pior do que os 67,2 milhões de euros negativos de 2014.

“Em termos de resultados, 2014 foi, sem dúvida, um ano desapontante. Contudo, ao mesmo tempo, a bem-sucedida fusão com a CSAV transformou-o num ano importante para a Hapag-Lloyd. Estamos agora mais competitivos e prontos para o futuro, para o qual olhamos com optimismo”, afirmou o CEO da Hapag-Lloyd, Rolf Habben Jansen, citado pela assessoria da imprensa.

A incorporação da CSAV na companhia alemã deverá estar concluída em Junho. A operação vai, segundo a Hapag-Lloyd, trazer poupanças anuais de, no mínimo, 300 milhões de dólares (275,4 milhões de euros).

Os comentários estão encerrados.