A Hapag-Lloyd anuncia uma nova sobretaxa de enxofre, a dois meses da entrada em vigor do limite da IMO de 0,5% de teor de enxofre no combustível marítimo.

A companhia alemã já tinha introduzido, há nove meses, um mecanismo de recuperação de combustível naval (MFR, na sigla em inglês), uma sobretaxa de enxofre aplicável a contratos de médio e longo prazo. Agora, a nova taxa acrescerá às cargas FAK, tarifas spot e Quick Notes (o novo sistema de reservas online da companhia.

A Hapag-Lloyd justifica a medida com a necessidade de recuperar as diferenças de preços entre o combustível HSFO 3,5% e LSFO 0,5%, além de custos operacionais de transição que não fazem parte do cálculo da MFR.

A partir de 1 de Dezembro, a Hapag-Lloyd irá introduzir uma Taxa de Transição IMO 2020 (ITC), válida até novo aviso, com os clientes a terem de pagar um adicional de 135 dólares por TEU no Ásia-Europa, 130 dólares no trans-Pacífico e 80 dólares (72 euros) nas rotas intra-asiáticas.

Comments are closed.