A Hapag-Lloyd e a UASC chegaram a acordo sobre os termos da fusão por incorporação das duas companhias. Falta agora o sim dos accionistas.

UASC - Barzan

Nos termos do acordo, a Hapag-Lloyd absorverá a UASC, ficando os accionistas desta com 28% do capital da companhia germânica, que manterá a sua sede em Hamburgo.

A Hapag-Lloyd é actualmente a sexta maior companhia de transporte marítimo de contentores do mundo, em termos de capacidade, com 629 mil TEU. A UASC  é 11.ª (no ranking elaborado pela Alphaliner), com 541 mil. Com a fusão, a nova Hapag-Lloyd ultrapassará a Evergreeen (963 mil TEU) e aproximar-se-á da Cosco (1,569 milhões).

Com a fusão, a Hapag-Lloyd passa a dispor dos mega-navios da UASC para o tráfego Ásia-Europa, enquanto a UASC ganha o acesso aos tráfegos do Atlântico e Norte-Sul.

Com a fusão, a The Alliance, a nova aliança anunciada em Maio, ganha mais 2,6% de quota de mercado (em termos de capacidade), com isso reforçando-se face às concorrentes 2M e Ocean Alliance.

Para a Hapag-Lloyd esta é a segunda fusão por incorporação em dois anos. Ainda no ano passado, a companhia germânica integrou as operações de transporte marítimo de contentores da CSAV, que assim se tornou a sua maior accionista.

Agora no caso da UASC, para  que o negócio se concretize falta o acordo dos accionistas (a assembleia geral da UASC realiza-se ainda hoje) e, claro, o ok das entidades da Concorrência.

 

Comments are closed.