Poderá estar iminente o anúncio do acordo fusão entre a Hapag-Lloyd e a UASC, que dará origem a um novo n.º 4 mundial no transporte marítimo de contentores.

UASC - Barzan

As negociações estarão muito avançadas e o anúncio do acordo poderá acontecer a qualquer altura, depois de ontem a CMA CGM, parceira da UASC na Ocean Three, e a OOCL, que integra a G6 com a Hapag-Lloyd, terem anunciado o lançamento de uma nova aliança global, a Ocean Alliance, com a Evergreen e a Cosco.

A Hapag-Lloyd é actualmente número seis no ranking mundial de transporte marítimo de contentores, de acordo com a Alphaliner, com uma capacidade de 924 mil TEU e uma quota de 4,5%. A UASC é décima, com perto de 547 mil TEU e 2,7%.

A nova companhia resultante de uma fusão saltaria para o quinto lugar do ranking, com uma quota de 7,3%, atrás da Maersk Line, MSC, CMA CGM e a nova Cosco.

A existir, a nova entidade será controlada pela Hapag-LLoyd uma vez que, de acordo com um comunicado da companhia germânica, as negociações assentam numa base de avaliação dos respectivos negócios de contentores de 72% Hapag-Lloyd, 28% UASC.

A Hapag-LLoyd opera com 170 navios e tem cinco encomendados. A UASC tem apenas 57 navios (e quatro encomendados) mas conta com seis de 19 000 TEU.

A fusão é olhada pelos analistas como uma boa solução, quer porque o tamanho importa para enfrentar a crise que assola o sector, quer porque a experiênca da Hapag-LLoyd com a integração da CSAV prenuncia o sucesso da nova fusão.

Actualizada com referência ao comunicado da Hapag-Lloyd

 

Comments are closed.