A Hapag-Lloyd melhorou os resultados operacionais e reduziu os prejuízos no primeiro trimestre do ano. Os números incluem, porém, os valores da UASC, o que prejudica a comparação face a 2017.

O relatório da companhia alemã indica que o EBITDA atingiu 219,4 milhões de euros de Janeiro a Março, contra 135 milhões no mesmo período do ano passado. Quanto ao EBIT, era de 53,7 milhões de euros no fim de Março, contra 7,5 milhões há um ano.

As receitas atingiram 2,6 mil milhões de euros no período em análise, contra 2,1 mil milhões há um ano. Apesar deste desempenho, a Hapag-Lloyd fechou o trimestre com prejuízos de 34,3 milhões, ainda assim menos do que os 58,1 milhões do período homólogo de 2017.

No que se refere aos volumes, a companhia fechou o primeiro trimestre deste ano com 2,86 milhões de TEU, acima dos 1,93 milhões de TEU transportados em igual período do exercício anterior.

Os preços médios dos fretes reduziram, porém, para 1 029 dólares/TEU, abaixo dos 1 056 dólares/TEU de 2017. A Hapag-Lloyd justifica a descida pelo “ambiente de mercado competitivo”.

Ambiente continua “desafiante”

A companhia dá conta, além disso, que o desempenho financeiro foi impactado por uma taxa de câmbio média mais baixa de 1,23 dólares/euro, quando no primeiro trimestre do ano passado era 1,07 dólares/euro, e preços mais altos do combustível. O grupo alemão indica que a média foi de 372 dólares a tonelada nos primeiros três meses de 2018, acima dos 313 dólares/tonelada um ano antes.

Com base nestes números, a Happag-Lloyd mostra optimismo moderado para o que resta de 2018 e adia as projecções de recuperação para o segundo semestre.

“Tivemos um começo sólido no ano em curso, mas o ambiente de mercado é desafiante. Os preços médios dos fretes têm estado sob pressão, os custos do bunker e o custo do transporte rodoviário em alguns mercados importantes subiram e enfrentamos um dólar americano mais fraco, embora maiores volumes e sinergias tenham apoiado o [nosso] resultado. Esperamos uma melhoria gradual do mercado ao longo de 2018 – mas a maior parte dessa melhoria só será reflectida nos resultados no segundo semestre do ano”, refere, em comunicado, o CEO da Hapag-Lloyd, Rolf Habben Jansen.

O relatório e contas da Happag-Loyd  relativo ao primeiro trimestre pode ser consultado aqui.

 

 

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*