A Hapag-LLoyd prevê gastar mais milhões de euros em combustível para cumprir o limite de 0,5% de teor de enxofre que a IMO imporá a partir de 2020 . . .

 

*** CONTEÚDO DE ACESSO RESERVADO. FAÇA LOGIN OU TORNE-SE ASSINANTE T&N ***