Antecipando-se a uma possível proibição da Comissão Europeia, a Hapag-Lloyd tornou-se a primeira companhia a abolir os GRI (General Rate Increases). A partir de 1 de Maio vigorarão os FAK (Freight All Kinds).

Hapag-Lloyd

A companhia germânica acaba de anunciar as novas tarifas para o Ásia-Norte da Europa e Mediterrâneo, a vigorarem a partir de 1 de Maio. Os novos FAK serão de 925 dólares/contentor de 20″, 1 750 dólares para os contentores de 40″ e 1 850 dólares para os contentores de 45″ highcube.

A justificação dos aumentos, porque é disso que se trata, é a de sempre: as tarifas caíram para níveis insustentáveis e as subidas são necessárias para evitar rupturas nos serviços e, logo, nas cadeias de abastecimento.

A novidade é, pois, mesmo, o abandono dos GRI e o anúncio de FAK. Uma mudança que vai no sentido defendido pela Comissão Europeia. Os GRI, recorde-se, apenas fixam o montante do aumento proposto, ao passo que Bruxelas defende a publicitação de tarifas máximas.

Facto é que as tarifas continuam pelas “ruas da amargura” e os GRI anunciados pelos operadores já “não pegam”. A prová-lo está a cotação do SCFI abaixo dos 300 dólares/TEU.

 

Os comentários estão encerrados.