A alemã Hapag-Lloyd anunciou que vai penalizar os cancelamentos tardios de reservas de capacidade. A companhia segue-se à CMA CGM e à Maersk com medidas deste tipo.

Hapag-Lloyd

A transportadora alemã anunciou uma taxa de 60 dólares (53,3 euros) para “todas as reservas canceladas nos três dias de calendário prévios à chegada do navio” nas cargas de exportação de Singapura para a Índia, já a partir de sexta-feira.

A decisão da Happag-Lloyd segue-se a opções semelhantes anunciadas pela CMA CGM e pela Maersk. As medidas têm arrancado em rotas secundárias para as companhias aferirem da sua viabilidade.

Desde 1 de Junho que a CMA CGM “multa” os cancelamentos tardios de reservas de capacidade com uma taxa de 150 dólares (133 euros) por contentor. A medida aplica-se aos envios do Norte da Europa para o Mar Vermelho, Médio Oriente, Índia, Paquistão e Sri Lanka.

A penalização aplica-se a cancelamentos feitos até sete dias, ou menos, da data de “cut -off”. A factura é enviada a quem tenha feito a reserva.

Já antes, em Abril, a Maersk havia criado uma taxa, na mesma rota, no sentido Este. A taxa é de 125 dólares (111 euros) por TEU e afecta “todas as reservas canceladas nos sete dias de calendário ou menos anteriores à data estimada de partida”.

 

 

Os comentários estão encerrados.