A Hyundai Merchant Marine (HMM) prepara-se para adquirir os principais activos da Hanjin Shipping, na prática avançando com a fusão operacional das duas companhias, avança a imprensa sul-coreana.

Hanjin Rome

O investimento da HMM na Hanjin poderá variar entre os 260 milhões e os 440 milhões de dólares, acrescentam os media. Em causa estarão, no essencial, os navios da companhia, evitando-se assim o seu arresto um pouco por todo o mundo.

Resta saber se este negócio entre as duas companhias poderá concretizar-se, agora que um tribunal de Seul aceitou o pedido de protecção de credores apresentado pela Hanjin e lhe concedeu até 25 de Novembro para apresentar um plano de viabilização. Um prazo que de pouco poderá valer tão rápidas estão a ser as ondas de choque provocadas pelo anúncio da bancarrota da companhia sul-coreana.

Os membros da CKYHE apressaram-se a denunciar a parceria com a Hanjin e o mesmo fizeram as demais companhias que com ela tinham acordos de partilha de capacidade. Um pouco por todo o mundo, autoridades portuárias e operadores de terminais recusaram a entrada/operação dos navios sem a prestação de garantias bancárias. E pelo menos quatro porta-contentores foram arrestados para garantirem o pagamento de dívidas.

Numa tentativa desesperada de ganhar tempo e evitar males maiores, os comandantes dos navios da Hanjin terão sido aconselhados a reduzir a velocidade de navegação e manterem-se em alto mar.

A HMM, por seu turno, terá já reforçado com 13 navios a oferta de capacidade nas ligações até aqui operadas pela Hanjin,

Carregadores obrigados a pagar para tirar cargas

Com as cargas metidas nos contentores arrestados, os carregadores arriscam passar um mau bocado e pagar caro para recuperarem as suas mercadorias.

Um relatório de uma firma de advogados belga, citado pelo “Splash24/7”, sustenta que os operadores de terminais poderão alegar o direito de retenção e exigir o pagamento de, pelo menos, uma parte da alegada dívida para libertarem os contentores.

Dependendo dos terminais, o preço a pagar pelos carregadores poderá chegar aos 2 000/2 500 euros por contentor, alerta.

Fretes sobem no mercado spot

Com o colapso da Hanjin, os preços de transporte marítimo de contentores no mercado spot estão em alta, fruto da redução de capacidade e da aflição dos carregadores.

De acordo com os dados do World Container Index (WCI), os fretes terão subido cerca de 40% nas ligações entre a China e o Norte da Europa e a China e a Costa Oeste dos EUA, ao passo que no China-Costa Leste dos EUA o aumento rondará os 20%.

O cenário deverá manter-se ainda nas próximas semanas, pelo menos, com preços mais altos e mais dificuldades no encaminhamento das mercadorias.

 

 

Comments are closed.