A HMM vai receber mais 4,3 mil milhões de euros de financiamento público da Coreia do Sul, para financiar a compra de navios e de terminais de contentores.

HMM vai comprar navios e terminais com apoio do estado

A HMM, que é a companhia de bandeira do país após o colapso da Hanjin Shipping, em 2016, investirá 2,4 mil milhões de euros em 20 mega-navios, a serem construídos em estaleiros navais sul-coreanos. O restante montante deverá ser usado para comprar terminais de contentores.

Os estaleiros sul-coreanos Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering, Samsung Heavy Industries e Hyundai Heavy Industries dividirão a encomenda de 20 navios, dos quais 12 serão ULCV de 23 000 TEU e oito serão navios de menor dimensão.

“A encomenda não poderia ter chegado em melhor altura hora”, referiu, citado pelo “Wall Street Journal”, um executivo sénior de um dos três estaleiros, pedindo para não ser identificado. “As encomendas pararam e estamos desesperados por receita para nos mantermos em operação”, acrescentou a mesma fonte.

A HMM controla 1,8% da capacidade global de transporte marítimo de contentores, enquanto os cinco principais operadores do mundo detêm uma quota de mercado combinada de 65%.

Em 2017, a companhia sul-coreana escapou por pouco à falência, com um resgate estatal de 573 mil milhões de euros e apresenta prejuízos há anos.

Este novo financiamento será canalizado sobretudo através do fundo público Korea Ocean Business Corporation.

O objectivo de Seul com estes financiamentos a companhias e estaleiros é melhorar a saúde financeira do sector, mas também potenciar um melhor escoamento dos produtos locais para outros destinos, em particular no Ocidente.

Os armadores europeus condenam as medidas, que consideram concorrência desleal e solicitam à União Europeia que aja contra Seul. “O plano de reforma sul-coreano é muito preocupante para os armadores europeus e para a indústria de construção naval. Estas medidas criam condições de concorrência desiguais”, considera o secretário-geral da ECSA, Martin Dorsman.

“Parte deste plano é também o apoio para garantir cargas estáveis ​​para embarcações com bandeira coreana, o que é uma medida de reserva de bandeira de carácter particularmente proteccionista”, acrescenta Dorsman.

 

 

Os comentários estão encerrados.