A HNA, accionista da TAP através da Atlantic Gateway, voltou a adiar o reembolso de um empréstimo à sua subsidiária Swissport.

O grupo chinês justificou este novo adiamento por estar “a concluir a avaliação das suas opções estratégicas” para o operador de handling suíço. A venda é uma hipótese falada recorrentemente, depois de falhada a ida para a Bolsa.

A Swissport financiou a HNA em 360 milhões de euros, mas só recebeu ainda 83 milhões, em Maio do ano passado, quando concordou em esperar cinco meses. Esse acordo foi prolongado em Outubro e, agora, volta a ser esticado.

O HNA Group comprou a Swissport em 2015. Desde então, enfrentou dificuldades financeiras e um maior escrutínio do Governo chinês, e tem procurado ver-se livre da companhia de handling.

A Cerberus, proprietária da concorrente WFS, e a Temasek Holdings, de Singapura, terão expressado interesse na Swissport. Também foi notícia, em Outubro, que a companhia canadiana de gestão de activos Brookfield estaria em negociações avançadas com a HNA.

A HNA planeava lançar uma IPO da Swissport em Abril do ano passado, mas desistiu assim que a Ceva Logistics anunciou a sua IPO na mesma bolsa.

Os analistas avaliam a Swissport em cerca de 2,6 mil milhões de euros.

A companhia suíça anunciou, entretanto, que a receita de carga subiu 7,3%, para 260 milhões e euros, no primeiro semestre de 2018, enquanto os volumes subiram quase 2%, para 4,8 milhões de toneladas.

 

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.