Governo e os novos donos da TAP voltaram a reunir-se ontem. No final, Humberto Pedrosa disse que o encontro correu bem e admitiu um acordo até ao final do mês corrente.

TAP - Gateway

O empresário, sócio de David Neeleman na Atlantic Gateway, referiu que nas negociações com o Executivo “está tudo em cima da mesa” pelo que “vai haver muito mais reuniões”. O encontro de ontem foi o terceiro.

A Atlantic Gateway detém 61% do capital da TAP. O Governo liderado por António Costa pretende recuperar para o Estado a maioria da transportadora aérea. O que implicará para os privados reduzirem a sua posição para 44%, uma vez que uma fatia de 5% do capital está ainda reservada aos trabalhadores da empresa.

Em Dezembro, os dois empresários afirmaram não pretenderem abdicar da maioria da TAP. Ao que o primeiro-ministro “respondeu” que a TAP v0ltaria ao controlo público com ou sem acordo.

Agora, Humberto Pedrosa (David Neeleman não falou aos jornalista) limitou-se a dizer que “está tudo em cima da mesa”, para logo admitir como provável um acordo até ao final do mês corrente.

Na reunião de ontem ainda não terão sido discutidas propostas concretas. Antes do próximo encontro entre o ministro do Planeamento e das Infraestruturas e os empresários deverão acontecer reuniões entre assessores de ambos os lados.

Desde que assinou o contrato de compra da TAP, em Novembro, a Atlantic Gateway injectou 150 milhões de euros na companhia e contratou com a Airbus a compra de 53 A320 e A330.

Entretanto, deputados do PSD e do CDS-PP já questionaram a Comissão Europeia sobre as possíveis consequências da reversão parcial da privatização da TAP.

 

 

Comments are closed.