A IATA vai desenvolver uma plataforma de e-AWB especificamente destinada a transitários de reduzida dimensão, que movimentem poucos volumes, anunciou o director de Carga da associação internacional de transporte aéreo.

Carga aérea

“Foi-nos solicitado o desenvolvimento de algo simples e com pouca tecnologia, porque há muita oferta de sistemas altamente sofisticados, mas poucos desses têm preço acessível a transitários que façam dez a 15 carregamentos por semana”, disse Glyn Hughes, citado pelo “Loadstar”, à margem do Congresso Mundial da Fiata (Federação Internacional de Associações de Transitários), que se realizou em Taiwan, de 8 a 13 de Setembro.

A decisão é vista por algumas empresas de TI como uma entrada da IATA no seu mercado, que dizem já haver soluções feitas a pensar nos pequenos agentes de carga aérea e lembram que as principais companhias aéreas já têm os seus próprios sites para o mesmo fim. Mas Glyn Hughes salientou tratar-se de um serviço básico a prestar a operadores que, de outra forma, não teriam acesso ao e-AWB.

A tarefa de reduzir o papel no transporte aéreo de mercadorias é importante para o sector, mas está a abaixo das expectativas. Glyn Hughes indicou que a penetração actual do e-AWB está nos 29,4% (mais 0,4% do que em Agosto), o que não deverá ser suficiente para o cumprimento da meta de 45% fixada pela IATA para o fim de 2015.

Comments are closed.