O mercado mundial de carga aérea cresceu 4,7% no primeiro semestre do ano. A oferta de capacidade cresceu 4,1%, o que é bom sinal, mas a IATA avisa para nuvens negras no horizonte.

IATA: carga aérea cresceu menos em Junho

Em Junho, o mercado cresceu 2,7% em relação ao mês homólogo de 2017, o que já representa um abrandamento. Além disso, desde Março que o aumento da capacidade é superior ao tráfego de mercadorias, segundo a IATA.

A organização explica essa tendência com o facto do ciclo de reabastecimento das empresas ter sido concluído no início de 2018, o que levou à natural redução das encomendas a fábricas na China, Japão e EUA.

Desde a IATA acrescentam que as actuais tensões comerciais também estão a afectar o transporte aéreo.

Capacidade preocupa

Por regiões, em Junho, o mercado da Ásia-Pacífico experimentou um aumento de 1,5% na procura e de 5,2% na capacidade de carga. A América do Norte teve, durante o sexto mês do ano, uma subida de 3,8% na procura e 5,9% na capacidade.

Na Europa, a carga aérea registou crescimentos de 3,3% nos volumes e de 5,4% na capacidade. Em contraste, na região latino-americana, a procura por carga aérea em Junho aumentou 5,9%, pouco mais do que os 5,7% de incremento na capacidade.

No Médio Oriente, os volumes de carga aumentaram 3,8% e a capacidade 4,5%. Quanto a África, a procura caiu 8,5% e a capacidade 1,4% em Junho.

 

 

Tags:

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*