O mercado mundial de carga aérea voltou a crescer em Julho, segundo a IATA. A subida homóloga foi de 11,4%, com a capacidade a incrementar bastante menos (3,7%).

TAP Carga

 

A subida do mercado em Julho quase quadruplica a média de 3,1% de crescimento do transporte aéreo de mercadorias ao longo da última década.

Este aumento da procura coincide com o crescimento do comércio, o aumento das exportações globais e uma maior confiança dos empresários. A IATA avisa, no entanto, que há sinais de que o crescimento do sector pode estar próximo do potencial máximo. Os volumes com ajustes sazonais permaneceram estáveis em Junho e caíram em Julho. Por sua vez, a taxa de rotatividade dos stocks estabilizou: a procura de carga aérea aumenta no início de uma recuperação económica – para que haja reabastecimento de stocks – e diminui à medida que estes se ajustam a novos níveis de procura.

“Julho foi um excelente mês para o sector da carga aérea, e pelo terceiro mês consecutivo, os volumes de transporte de mercadorias superaram o aumento nas viagens aéreas”, indica, em comunicado, o CEO da IATA, Alexandre de Juniac.

Crescimento em todas as regiões

Todos os mercados regionais tiveram um mês de Julho de crescimento face ao mês homólogo de 2016, de acordo com a IATA. A Europa liderou, entre os principais mercados, com uma subida de 12,1% na procura e de 5,5 na capacidade disponível.

A Ásia-Pacífico registou um aumento de 11% na procura e de 6,3% na capacidade. As companhias aéreas da América do Norte registaram um crescimento de 11,9% (1,1% na oferta). No Médio Oriente, a procura cresceu 9,3% e a capacidade caiu 0,4%.

O desempenho menos positivo na carga aérea em Julho aconteceu na América Latina, com a procura a aumentar 5,8%, pouco acima dos 4,7% que subiu a capacidade.

África foi a região mundial que mais cresceu face a Julho de 2016. A procura dos serviços de transporte aéreo de mercadorias cresceu naquele continente 33,7% no período em análise, o segundo melhor desempenho em sete anos. A capacidade aumentou 4,5%.

10,6% de crescimento no year-to-date

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, os volumes transportados cresceram 10,6% em termos homólogos. E como a oferta  de capacidade só avançou 3,6%, a taxa de ocupação cresceu 2,8 pontos percentuais para 44,6%.

Entre os principais mercados, a Europa tem o maior crescimento, com 13,3% e a Ásia-Pacífico o melhor “load factor”, com 53,9%.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.