O mercado mundial de carga aérea cresceu 6,8% em Novembro de 2016 face ao mês homólogo do ano anterior, de acordo com os dados da IATA. A capacidade disponível contraiu 4,4% face a Novembro de 2015.

Carga aérea

A subida registada em Novembro é inferior à de 8,4% registada em Outubro (o maior crescimento em 20 meses). É, ainda assim, 2,5 vezes superior à subida mensal média da última década (2,6%).

Todas as regiões cresceram em Novembro, com excepção para a América Latina, que contraiu 1,3% (com a atenuante da oferta disponível ter caído mais: 1,6%). Os maiores crescimentos em Novembro de 2016 vieram de África (+10,9%) e da Europa (+9%).

O maior crescimento africano é, porém, “abafado” pela subida de 26,9% na capacidade disponível. Já na Europa, o aumento de capacidade (+4%) foi inferior ao da procura.

Nas restantes regiões do globo, a procura e a capacidade aumentaram, respectivamente 6,1% e 4% no Ásia Pacífico, 7,8% e 5,1% no Médio Oriente e 5,6% e 2,6% na América do Norte.

“O sector da carga aérea registou um excelente desempenho em Novembro. E há sinais encorajadores de que este crescimento continuará em 2017, devido, sobretudo, ao envio de componentes e produtos de elevado valor ligados à electrónica de consumo. Mas o comércio mundial continua em estagnação, o que torna imprescindível que a indústria da carga aérea continue a melhorar a sua proposta de valor com a implementação de processos centrados no cliente moderno”, refere, citado em comunicado de imprensa, o director-geral e CEO da IATA, Alexandre de Juniac.

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.