O mercado mundial de carga aérea voltou a crescer em Abril, segundo os dados da IATA. A subida foi de 4,1%, mas a capacidade aumentou 5,1%.

Depois da forte travagem de Março (quando o mercado cresceu apenas 1,3% em termos homólogos, o pior resultado dos últimos 23 meses), todos os mercados regionais tiveram um mês de Abril de crescimento face ao mês homólogo de 2017. Notam-se, porém sinais de alarme do lado da capacidade.

A Ásia-Pacífico registou um aumento de 3,9% na procura e de 6,7% na capacidade. Já as companhias aéreas da América do Norte registaram um crescimento de 3,2% nos volumes, contra uma subida de 3,4% na oferta.

A Europa registou, no mês em análise, uma subida de 2,4% na procura e de 4% na capacidade disponível.

No Médio Oriente, a procura cresceu 7,3% e a capacidade 0,8%. Na América Latina, a procura aumentou em Abril 10,6%, acima da capacidade, que incrementou 4,6%. Em África, a subida da procura foi de 5,6%, muito abaixo dos 23% de aumento da capacidade.

O crescimento mais fraco da carga aérea deve-se principalmente ao fim do ciclo de reposição de stocks, explica a IATA.

“Abril representou uma recuperação face à desaceleração abrupta do crescimento experimentada em Março. Isto é uma boa notícia. Continuamos cautelosamente optimistas de que a procura crescerá em torno de 4% este ano”, comentou, em comunicado, o CEO da IATA, que alertou também para os riscos do aumento do preço do petróleo e das políticas proteccionistas.

 

 

 

 

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.