Depois do forte crescimento experimentado em Agosto, o mercado global de carga aérea voltou à quase estagnação em Setembro, com uma subida homóloga de apenas 0,5%, revelou a IATA.

Ainda assim, a associação internacional das companhias aéreas sublinhou que em Setembro o sector atingiu o nível mais elevado (em volumes transportados) dos últimos 25 meses, confirmando uma lenta mas persistente recuperação e alimentando as expectativas quanto a um final de ano positivo.

Os resultados poderiam ser ainda bem melhores não se desse o caso das companhias da Ásia-Pacífico, o maior mercado mundial da carga aérea, continuarem a sentir grandes dificuldades. Em Setembro, recuaram mais 3,1% em termos homólogos.

Ao invés, a região do Médio Oriente mantém o forte crescimento, com ganhos de 9,9% em Setembro.

Entre os mercados mais maduros, a Europa avançou 1,4%, enquanto a América do Norte apenas progrediu 0,9%. As companhias da América Latina transportaram mais 3,9% e as de África menos 0,8%.

No balanço dos primeiros nove meses do ano, o saldo é positivo mas apenas em 0,5%, oscilando entre as perdas de 2,1 da Ásia-Pacífico e os ganhos de 12,3% do Médio Oriente. A Europa avança 0,6% mas a América do Norte cede 1,1%. A América Latina ganha 3,8% e África 1,1%.

Considerando a taxa de ocupação, a situação degradou-se em Setembro, com o aumento da oferta de capacidade (basicamente, nos porões dos aviões de passageiros) a superar a procura.

Comments are closed.