O transporte de mercadorias cresceu em Portugal, no primeiro trimestre, em todos os modos, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
Linha da Beira Alta - Takargo

Em termos percentuais, a maior evolução aconteceu mesmo na movimentação de carga e correio nos aeroportos nacionais. Entre Janeiro e Março foram processadas 41,2 mil toneladas, mais 17,9% que no período homólogo de 2016 e mais 11,4% relativamente ao último trimestre de 2016.

As cargas embarcadas tiveram o melhor comportamento, com uma subida homóloga de 22,3%, e superaram as cargas de importação (que cresceram 13,5%): 21,5 mil toneladas, contra 19,7 mil.

Já se sabia e agora o INE confirma-o: no primeiro trimestre o movimento de mercadorias nos portos nacionais  esteve em alta: 11,4% até aos 23,7 milhões de toneladas: 9,4 milhões de toneladas carregadas (mais 12,2% em termos homólogos) e 14,3 milhões de toneladas descarregadas (mais 10,8%).

Por rodovia, o movimento de cargas chegou aos 40,9 milhões de toneladas no final de Março, o que representa mais 11,2% que no primeiro trimestre de 2016, mas fica 3.2% abaixo do realizado no último quarto do ano passado. O tráfego nacional cresceu 15,6% e chegou aos 34,3 milhões de toneladas, enquanto o internacional recuou 7,5% para 6,5 milhões de toneladas.

Considerando as toneladas-km, o transporte rodoviário apenas cresceu 0,7% no primeiro trimestre, em termos homólogos, com um aumento de 8,7% na produção nacional e uma quebra de 2,3% nas viagens internacionais.

Finalmente, na ferrovia, os 2,6 milhões de toneladas contabilizados pelo INE representam apenas 0,6% mais que o realizado no primeiro trimestre de 2016 e ficam 4,4% abaixo do apurado entre Outubro e Dezembro últimos. Considerando as toneladas-km, o ganho homólogo é ainda mais reduzido (0,1%), mas ainda assim supera o realizado no trimestre imediatamente anterior (0,8%).

 

 

 

Tags:

Comments are closed.