O Reino Unido vai arrancar ainda este ano com testes de auto-estradas com faixas de rodagem que carregam os veículos eléctricos e híbridos “plug-in” em movimento.

Auto-estradas eléctricas

A solução, semelhante à já existente de carregamento sem fios para telemóveis, será ensaiada pela Highways England durante 18 meses e, consoante os resultados, os testes poderão alargar-se a estradas públicas do país.

Os estudos de viabilidade para estes testes reais custaram 200 mil libras (283 mil euros) e inserem-se num plano de investimento de 500 milhões de libras (707 milhões de euros) que Londres tem para manter o Reino Unido na linha da frente da mobilidade eléctrica.

“O potencial de recarregar veículos de baixas emissões em movimento oferece possibilidades muito interessantes. O governo está a cabimentar 500 milhões de libras para manter a Grã-Bretanha na vanguarda desta tecnologia, a qual vai ajudar a aumentar empregos e crescimento no sector”, afirma, citado no comunicado de imprensa da Highways England, o ministro dos Transportes britânico, Andrew Jones.

O carregamento em movimento seria uma forma de aumentar a autonomia de automóveis eléctricos e híbridos “plug-in” em modo eléctrico. A maioria dos automóveis eléctricos à venda em Portugal tem uma autonomia a rondar os 150 quilómetros e os híbridos “plug-in” 40 quilómetros (em modo puramente eléctrico, tendo depois a autonomia habitual de um carro a combustível convencional), quando um veículo diesel ou a gasolina ultrapassa facilmente os 600 quilómetros de autonomia.

Entretanto, a Highways England anunciou que vai instalar, no longo prazo, postos de carregamento eléctrico a cada 20 milhas (32 quilómetros). Esta medida insere-se na estratégia de investimento rodoviário do governo britânico.

 

 

 

Comments are closed.