Depois do Parque Norte da Bobadela, a Infraestruturas de Portugal (IP) avança com a concessão do terminal ferroviário de mercadorias da Guarda.

Na Guarda, está em causa a “exploração de bens do domínio público ferroviário, com a área de 22 170 m2 sitos no Terminal Ferroviário da Guarda, para a realização de cargas, descargas e armazenamento de mercadorias transportadas por caminho-de-ferro”.

Também ali a concessão será feita por um prazo inicial de cinco anos, prorrogável por um ano, num máximo de duas prorrogações.

O anúncio do concurso foi publicado em Diário da República no passado dia 3. Os interessados têm 30 dias para apresentarem as propostas.

O critério único para a escolha do vencedor será o preço oferecido. Sendo que no mínimo a IP impõe uma renda mensal de 16 970 euros.

O futuro concessionário ficará também obrigado a realizar um número mínimo de comboios no terminal, actualmente sem actividade.

O terminal ferroviário da Guarda tem potencialidades reconhecidas, que deverão ser melhor aproveitadas assim se concretizem as obras em curso na Linha da Beira Baixa (na ligação Covilhã-Guarda) e na sua ligação à Linha da Beiras Alta.

ALB ganhou Bobadela

A concessão do Parque Norte da  Bobadela foi lançada no início do ano e ganha pela ALB, que de resto já ali operava.

Na corrida estiveram também a MSC / Medway e a Repnunmar.

No entretanto, a ALB terá avançado com uma queixa contra a Medway na Autoridade da Concorrência, por alegado abuso de posição dominante, traduzido na recusa da realização dos comboios a que a ALB está obrigada por força do contrato de concessão.

 

Comments are closed.