A Infraestruturas de Portugal (IP) vai investir cerca de 30 milhões de euros na estabilização de taludes na Linha do Douro e instalar um sistema inovador de detecção de queda de blocos no troço Tua-Pocinho.

Ontem, a  circulação na via esteve interrompida entre o Peso da Régua e o Pinhão, na sequência do descarrilamento parcial de um comboio devido a um deslizamento de terras e pedras perto da estação do Ferrão, no concelho de Sabrosa. O incidente não provocou feridos.

Fonte da IP disse à “Lusa” que a empresa tem efectuado um “trabalho de reforço das condições de segurança da Linha do Douro” e adiantou que, para os próximos anos, “está previsto um investimento global de cerca de 30 milhões de euros”.

Segundo a empresa, em 2018 vão também ser investidos 450 mil euros na colocação de um sistema de detecção de queda de blocos, entre as estações do Tua e Pocinho.

Trata-se, de acordo com a IP, de um “sistema inovador com recurso a fibra óptica a instalar em contínuo naquele troço”.

Este ano avança a empreitada, no valor de 3,5 milhões de euros, para trabalhos de estabilização de sete taludes e serão realizadas acções pontuais em dois taludes, envolvendo um encargo estimado em 375 mil euros.

Para 2019 estão programadas empreitadas de estabilização em mais 13 taludes, num investimento de seis milhões de euros e, nos anos posteriores, serão intervencionados mais 40 taludes, num valor estimado de 17,8 milhões de euros.

Serão realizadas outras ações pontuais a executar em 16 taludes, num valor estimado três milhões de euros.

A IP disse ainda que, nos últimos cinco anos, investiu três milhões de euros na concretização de trabalhos de estabilização de taludes na linha do Douro.

Comments are closed.