A falta de motoristas na Europa pode ser reduzida com o aumento da segurança e a atracção de mais mulheres para a profissão, considera a romena Raluca Marian, da IRU.

Citada pelo “Lloyd’s Loading List”, a Delegada Geral da Delegação Permanente da IRU junto da União Europeia indicou que, no presente, um quinto das vagas de motoristas estão por preencher, uma tendência que ameaça a capacidade dos operadores de atenderem à crescente procura de transporte. Apesar dessa escassez de profissionais, as mulheres representam apenas 2% da população europeia de motoristas, acrescenta.

“Se conseguirmos passar essa percentagem de 2% para 10%, será uma boa solução para a falta de motoristas”, disse Raluca Marian. “Atrair mulheres para a profissão é uma óptima maneira de combater a falta de motoristas”.

Segundo a executiva da Delegação da IRU junto de Bruxelas, muito mais pode ser feito para atrair mulheres para o transporte rodoviário, melhorando a imagem, as condições de trabalho e a segurança da profissão. Um grande problema identificado pela IRU é a falta de estacionamento nocturno seguro. “Como mulher, você quer estacionar em segurança na estrada quando for dormir à noite”, disse.

Raluca Marian sublinhou, de resto, que a simples inexistência de espaços de estacionamento é um problema. “Faltam 100 mil lugares de aparcamento na Europa”, avisa.

A IRU está, no presente, a trabalhar com vários sindicatos de trabalhadores e organizações de carregadores europeias para melhorar a oferta de estacionamento seguro e a recepção de motoristas quando estes chegam ao destino com as mercadorias.

Outro aspecto que a IRU indica estar a tentar mudar é a visão das mulheres de que conduzir camiões envolve muitos dias longe de casa e da família. “Ficar longe de casa por vários dias provavelmente não é compatível com a vida de muitas mulheres e das suas famílias”, admitiu Raluca Marian. “[Mas] existem diferentes tipos de transporte de mercadorias e 85% é de curta distância”, indicou.

 

 

Tags:

Comments are closed.