Afinal, os  transportadores estrangeiros só terão de pagar o salário mínimo italiano aos seus motoristas nas operações de cabotagem realizadas naquele país. Afinal, as novas regras só entrarão em vigor a 26 de Janeiro.

portagens-italia

O governo italiano esclareceu, finalmente, meses depois de ter decidido impor o pagamento do salário mínimo aos motoristas de empresas estrangeiras deslocados no país, que tal pagamento só será devido quando as operações de transporte configurem operações de cabotagem.

De fora ficarão, assim, as operações de transporte internacional, com origem ou destino no mercado italiano (ao contrário do que se verifica, por exemplo, no caso francês).

Ao mesmo tempo, as autoridades de Roma adiaram para 26  de Janeiro a entrada em vigor das novas, inicialmente agendada para a passada segunda-feira, 26 de Dezembro.

Mantém-se, entretanto, a obrigatoriedade de as transportadoras estrangeiras que actuem no mercado transalpino nomearem um representante legal no país.

Itália junta-se, assim, a França e à Alemanha na imposição do salário mínimo nacional aos motoristas de empresas estrangeiras, numa tentativa de combater a concorrência desleal de operadoras com custos laborais e sociais significativamente mais baixos.

 

Os comentários estão encerrados.