A CNH Industrial, que detém a Iveco, vai investir 250 milhões de dólares na Nikola, fabricante norte-americano de camiões eléctricos a bateria e pilhas de combustível.

O investimento será o primeiro passo de uma parceria estratégica para os mercados norte-americano e europeu. “Iveco e FPT Industrial [divisão de motores do grupo] aportarão a sua expertise em engenharia e fabricação para industrializar os camiões eléctricos e a pilhas de combustível  da Nikola”, refere o comunicado conjunto emitido a propósito.

A parceria beneficiará o lançamento dos Nikola One e Nikola Two, dois camiões da classe 8, com cabinas longas, destinados ao mercado norte-americano, e também do Nikola Tre, um pesado de cabina curta dedicado ao mercado europeu.

Por sua vez, a Nikola contribuirá com as suas tecnologias numa joint-venture europeia com a CNH Industrial, na qual se incluem a especialização em células de combustível, eixos eléctricos (e-axles), inversores, suspensão independente, armazenamento de hidrogénio a bordo, funcionalidade over-the-air para actualização de software, infotainment, controlos do veículo, protocolos de comunicação veículo-estação, electrónica de potência, e acesso a uma rede de abastecimento do hidrogénio.

A dona da Iveco considera a tecnologia de célula de combustível como “o próximo passo lógico nos motores a gás natural liquefeito, à medida que aumenta a sua disponibilidade nas redes de abastecimento existentes, possibilitando a produção local de hidrogénio”.

A Iveco já comercializou cerca de 28 mil camiões e autocarros a gás natural.

Os camiões pesados zero-emissões da Nikola, propulsionados pelas tecnologias de célula de combustível de hidrogénio e de baterias desenvolvidas pela própria marca, serão lançados até ao final de 2022.

A Nikola possui um modelo de negócio disruptivo, com contratos de aluguer tudo incluído: custos do veículo, serviço, manutenção e combustível.

 

Comments are closed.