Foi uma semana estranha para a Airbus, com as boas notícias da venda de aviões à R.P. China e a má notícia do incidente com o A380 da Qantas.

A Skymark tornou-se a primeira companhia japonesa a encomendar o A380 da Airbus. A companhia, que actualmente opera uma frota de apenas 12 aviões em ligações regionais, pretende avançar para os voos internacionais e para isso conta com o “gigante” dos ares europeu.

Os novos aviões da Skymark deverão começar a voar em 2014. O acordo de princípio agora anunciado contempla a compra de quatro A380 com direito de opção sobre mais dois aparelhos.

O valor do negócio não foi divulgado. A preços de catálogo, que servem apenas como referência, estar-se-á a falar de um investimento entre os 1,4 mil milhões e os 2 mil milhões de dólares, consoante sejam quatro ou seis os aparelhos contratados.

Com mais esta encomenda, eleva-se a 238 aparelhos a carteira de encomendas da Airbus para o A380. Actualmente apenas cinco companhias operam os 37 aviões disponíveis: Air France, Lufthansa, Qantas, Emirates e Singapore Airlines.

E foi precisamente num dos aviões da Qantas que se registou o primeiro incidente dos A380. Um dos motores ardeu em voo, obrigando a uma aterragem de emergência. Ao que parece, tratar-se-á de um problema de fabrico, o que motivou a Rolls Royce a recomendar a revisão de todos os motores. A falha, de resto, já teria sido sinalizada pelas autoridades europeias…

Em Paris, a visita do presidente da R.P. China ficou assinalada por uma mão cheia de contratos milionários, entre os quais os relativos à compra de mais 66 Airbus, que eleva para 102 as encomendas daquele país.

Os aparelhos destinam-se às frotas da China Southern, China Eastern, Air China e CASC. Serão 50 A320, seis A330 e dez dos futuros A350.

O valor da encomenda não foi divulgado mas rondará os 7,6 mil milhões de dólares (valor de catálogo), consoante as versões consideradas.

Os comentários estão encerrados.