O novo centro de distribuição da Jerónimo Martins em Valongo, para abastecer toda a região Norte, deverá estar operacional em 2016. Numa nota de research, o BPI sublinha que o “foco na logística é fundamental para que a companhia recupere alguma da margem de EBITDA perdida”.

A Jerónimo Martins prevê investir 40 milhões de euros e criar cerca de 450 postos de trabalho na nova plataforma, prevista para Alfena, Valongo. Ali serão centralizadas as operações de abastecimento às mais de 200 lojas das marcas Pingo Doce e Recheio existentes na zona Norte.

O projecto está agora em fase de avaliação de impacte ambiental. Mas a sua construção, uma área de 19,5 hectares, implicará ainda a revisão do PDM. A plataforma demorará 18 meses a ser construída e estará operacional em 2016.

Em Fevereiro, a Jerónimo Martins anunciou ir investir cerca de 200 milhões de euros, nos próximos três anos, em instalações logísticas.

No seu research hoje divulgado, a unidade de investimento do BPI sublinha que “este foco na logística é fundamental para que a companhia recupere alguma da margem de EBITDA perdida, depois dos cortes nos preços iniciados em meados de 2012 (as margens caíram de 6,6% para 5,6%)”.

“Este novo centro de distribuição está em linha com a estratégia da empresa de reorganizar a sua operação logística em Portugal”, referem os analistas do BPI, para quem a JM deverá centralizar a distribuição logística em três centros, para com isso compensar as perdas nas margens.

Comments are closed.