Pressionada pelos seus parceiros da aliança CKYH, a K Line anunciou a assinatura de uma carta de intenções com os estaleiros Imabari Shipbuilding para a construção de cinco navios de 14 000 TEU.

Actualmente, os maiores navios da K Line são de apenas 8 000 TEU. Mas todos os seus parceiros da CKYH – a Cosco, Yang Ming e a Hanjin Shipping – já operam navios de maiores dimensões no serviço conjunto entre a Ásia e a Europa.

Dadas as limitações financeiras da K Line, ainda não é certo se os novos navios serão comprados pela companhia japonesa, ou se serão antes fretados a um armador ou a uma companhia locadora, que assumirá o contrato junto dos estaleiros.

Certo é que o preço de cada um dos novos navios de 14 000 TEU deverá ser substancialmente mais baixo que o praticado num passado ainda recente, quando os estaleiros estavam inundados de encomendas.

“Os nossos planos passam por colocar todos os nossos maiores navios nos serviços da CKYH. Discutiremos com a Yang Ming se operaremos uma rotação conjunta, mas ainda não decidimos”, disse um dirigente da K Line ao “Lloyd’s List”.

Certo é que a K Line não pretenderá aumentar a sua oferta de capacidade global, pelo que a entrada em operação dos novos navios deverá ser compensada pela retirada de alguns porta-contentores panamax.

Comments are closed.