A Laso Transportes anuncia para o corrente mês a criação da Laso Moçambique, em resultado da redenominação da GTE, a sua subsidiária local.

Na verdade, a Laso Transportes está em Moçambique desde 2011, lembra a empresa em comunicado. Mas até agora  a empresa local denominava-se GTE – Gruas e Transportes Especiais, Lda, que agora assumirá o nome de família.

A empresa moçambicana mantém a sede na Matola e centros operacionais na Beira e em Nacala, a que se juntará em breve Cabo Delgado, anuncia. A partir daquelas localizações serve todo o território moçambicano e também países vizinhos. Para tal conta com meios humanos e equipamentos próprios, entre os quais se destacam “gruas móveis de capacidade até 200 toneladas, reboques modulares com capacidade até 250 toneladas, plataformas extensíveis até 46 metros, camiões-grua e uma grande variedade de “lowbeds”, bem como um sistema Enerpac de “jacking and skidding””, sublinha.

Com a criação da Laso Moçambique abre-se um novo capítulo na história da empresa naquele país, onde “os tempos não têm sido fáceis”.

A Laso Transportes está em África – “terra de oportunidades, e um continente onde se vislumbram grandes perspectivas de mudança, de investimento e desenvolvimento económico” – desde 2008, nomeadamente em Marrocos, Cabo Verde, Senegal, Mauritânia, África do Sul e Moçambique”.

Comments are closed.