A portuguesa Lease-Fly prevê estabelecer nos próximos seis meses uma companhia aérea regional em Cabo Verde, para realizar voos domésticos e regionais.

 

A Lease-Fly começou hoje a operar voos domésticos em Cabo Verde, no âmbito de um consórcio liderado pela
Cabo Verde Airlines (CVA) e que integra a também portuguesa Newtour. Em causa estão as ligações das ilhas de Santiago (Praia), São Vicente e Fogo ao hub da CVA na ilha do Sal.

A operação é assegurada por um ATR42-300 da Lease-Fly, com capacidade para 48 passageiros.

“A nossa previsão é introduzir um segundo avião em Outubro. Depois, em função daquilo que forem as necessidades de mercado e da própria CVA, poderemos ampliar a nossa frota. (…) Sendo a empresa especializada em aviões ATR, é previsível que nos mantenhamos com este tipo de operação e aeronaves”, afirmou à “Lusa” o director executivo da Lease-Fly.

Até agora, as ligações aéreas entre ilhas eram asseguradas apenas pela companhia Binter, depois de a TACV (agora CVA) ter abandonado o mercado doméstico para se concentrar nas ligações internacionais. Mas o governo cabo-verdiano tem insistido que o mercado está aberto a novas operadoras.

A operação agora iniciada “foi feita e desenhada em conjunto com a CVA, para dar resposta a necessidades de tráfego”, com a Lease-Fly a prestar o serviço à CVA nos próximos seis meses, acrescentou José Madeira..

Mas o objectivo da administração da Lease-Fly passa por ter uma empresa própria cabo-verdiana, podendo “ser estudadas rotas regionais para países próximos de Cabo Verde”.

“O nosso plano é certificar, após seis seis meses, uma empresa aérea em Cabo Verde. O investimento a
realizar será o necessário para certificar e operar uma companhia aérea regional”, acrescentou, sem quantificar.

Registada em Portugal, a Lease-Fly tem ainda bases operacionais em Espanha e França, sendo um operador especializado no transporte aéreo regional e executivo.

Comments are closed.