Até ao final do ano, a APDL deverá iniciar a construção das primeiras naves no pólo 1 da plataforma logística de Leixões. Cerca de 50% dos espaços estão já contratados mas há mais candidatos a inquilinos.

Plataforma Logistica de Leixões

Dos 15 lotes que compõem o pólo 1, ou de Gonçalves, da plataforma logística de Leixões, quatro já estão contratados e dois outros estão reservados. Entre os novos inquilinos já confirmados estão a espanhola Friopuerto (Grupo Romeu), que instalará em Leixões um entreposto de frio (a exemplo do contratado há dias para a zona logística de Sines) e as portuguesas Warelog e Kartel.

Acresce o lote há muito contratado com a Zaldesa, a gestora da plataforma logística de Salamanca.

Os dois lotes “reservados” destinar-se-ão à TCGL, concessionária da movimentação de cargas fraccionadas e granéis sólidos em Leixôes, e à ETE Logística, ambas do Grupo ETE (que chegou a ser, em tempos idos, candidato à construção e exploração da plataforma logística).

Brogueira Dias, presidente da APDL, garante que há entretanto negociações com outros potenciais candidatos.

Pelo menos nos casos já contratados, a APDL assumirá o encargo de construir as naves logísticas, de acordo com o masterplan da plataforma e as especificidades pretendidas pelos operadores, recebendo em pagamento uma renda mensal por um período alargado de tempo.

O pólo 1, o mais próximo do porto de Leixões (na verdade, está quase encostado ao porto) já está completamente infra-estruturado, o que ajudará a explicar a maior apetência dos operadores para ali se instalarem.

A infra-estruturação do pólo 2 – ou de Guifões-Gatões – está em curso. O investimento foi candidatado à primeira chamada do CEF e será co-financiado por Bruxelas.

Sérgio Monteiro, secretário de Estado dos Transportes, inaugurou hoje o pólo 1 da plataforma logística de Leixões, num acto que marca o cumprimento integral do Plano Estratégico de Desenvolvimento do Porto de Leixões, apresentado em Junho de 2004 para vigorar até 2015.

 

Comments are closed.