Em Novembro, o porto de Leixões movimentou 1,3 milhões de toneladas, quase mais 400 mil que há um ano. E com isso, passou de um saldo negativo de 1%, no final de Outubro, para um ganho de 3% a um mês do final do ano.

Todas as cargas estiveram em alta no porto nortenho, com realce para os granéis. Movimentaram-se 304 mill toneladas de sólidos (127 mil há um ano) e 524 mil de líquidos (407 mil). A carga contentorizada atingiu as 435 mil tonelasas (385 mil) e a carga fraccionada chegou às 71 mil (16 mil).

No acumulado de 2010, a subida da carga geral – contentorizada e fraccionada – chega e sobra para compensar a quebra na movimentação de granéis líquidos.

Desde Janeiro, passaram por Leixões 13,3 milhões de toneladas, mais 3% que no período homólogo de 2009.

Em termos absolutos, a carga contentorizada é a que apresenta a melhor performance, com um crescimento acumulado de quase 380 mil toneladas. Em termos relativos é a carga geral fraccionada a que cresce mais: 56% para cima das 512 mil toneladas.

Nos granéis, enquanto os sólidos ganham 5%, os líquidos perdem o mesmo. Mas os primeiros valem dois milhões de toneladas e os segundos mais de seis milhões.

A crescer 3% no final de Dezembro, o porto de Leixões superará os números de 2009 mas ficará abaixo do recorde de 2008, quando atingiu os 15,6 milhões de toneladas.

Os comentários estão encerrados.