Em Maio, o porto de Leixões movimentou 67 156 TEU, superando o recorde mensal de 65 938 TEU fixado em Novembro de 2012. Em ambas as ocasiões, o porto de Lisboa estava em greve.

Leixões - TCL

Na comparação com o mês homólogo de 2015, o resultado agora alcançado representou um ganho de 33%. O que, depois da subida de 18% registada em Abril, atira os números do Terminal de Contentores de Leixões (TCL) para uns históricos 280 213 TEU movimentados nos primeiros cinco meses do ano. Mais 12% do que em igual período de 2015.

A ajudar ao volumoso resultado esteve, claro, a paralisação dos terminais de contentores de Lisboa, por causa da greve dos estivadores. Nas últimas semanas foram mais que muitos os camiões e comboios que demandaram o TCL para carregar/descarregar c0ntentores, por força do desvio das escalas para o porto nortenho.

Desta feita, porém, e ao contrário, de 2012, não se verificaram em Leixões constrangimentos de maior. Isto porque, aprendida a lição, administração portuária e concessionária do terminal de contentores implementaram mais cedo o plano de contingência que, na prática, disciplinou a entrada de contentores no terminal.

Certo é que com a “ajuda” da greve dos estivadores em Lisboa, Leixões passou de um crescimento de 3,5% no final do primeiro trimestre para um salto de 12% à entrada de Junho, o que deixa no ar a possibilidade de um novo recorde anual e poderá apressar a decisão política sobre a ampliação do terminal de contentores Sul.

 

Comments are closed.