Já se sabia mas agora é oficial: 2014 foi o melhor ano da história do porto de Leixões. Só os granéis se furtaram à onda de recordes.

Pelo quarto ano consecutivo, Leixões atingiu, em 2014, um recorde nas cargas movimentadas: 18,1 milhões de toneladas, mais 5,3% que no exercício anterior.

A carga contentorizada avançou 3,5% até aos 6,5 milhões de toneladas, e com isso superou o anterior máximo, de 6,46 milhões de toneladas, fixado em 2011. A carga geral fraccionada cresceu 14%, para um recorde de um milhão de toneladas (o anterior máximo era de 935 mil toneladas, também de 2011). E a carga ro-ro superou as 404 mil toneladas, mas do que quintuplicando os números de 2013 e garantindo para Leixões a liderança nacional neste segmento de mercado.

Depois de terem estado praticamente todo o ano em perda, os granéis líquidos terminaram 2014 sobre a linha de água, nos 7,8 milhões de toneladas. E assim subsiste o recorde de 8,1 milhões de toneladas de 2008. Já os granéis sólidos subiram 10,9% para os 2,3 milhões de toneladas, ainda assim insuficientes para derrubar o máximo de 2,5 milhões de toneladas de 2011.

As cargas de exportação atingiram os 5,8 milhões de toneladas (mais 6,7% em termos homólogos). Angola manteve-se como o principal destino, seguido do Reino Unido, Argélia, Marrocos e EUA.

Produtos refinados e aromáticos, ferro/aço, papel e cartão, granito em paralelepípedos, bebidas, azulejos e mosaicos e máquinas foram as cargas mais exportadas para um total de 181 países.

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.