Como se previa, a maioria dos portos nacionais esteve paralisada pela greve dos trabalhadores portuários, convocada no âmbito da greve geral decidida pelas duas centrais sindicais.

Como se previa também, o porto de Leixões – onde há anos não se realiza qualquer greve dos trabalhadores portuários – laborou normalmente, quer no terminal de contentores, quer no terminal de carga geral e granéis sólidos. A paralisação dos pilotos terá tido reduzido impacto na actividade, tanto quanto foi possível apurar pelo TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

A “surpresa” do dia de greve geral aconteceu em Aveiro, onde foram operados dois navios. Recorde-se que ainda há relativamente pouco tempo o porto aveirense esteve parado semanas por um movimento grevista, pelo que a actividade em dia de greve geral não estaria certamente nas previsões da Fesmarpor.

Em Sines, no Terminal XXI, para onde não se previa a realização de greve, não se verificaram escalas de navios. Os demais terminais estiveram parados.

Os outros portos nacionais, onde a federação dos trabalhadores portuários tem forte implantação, estiveram paralisados.

Os comentários estão encerrados.