Até ao final de Julho, o porto de Leixões movimentou 10,45 milhões de toneladas, mantendo o crescimento acumulado na casa dos 4%.

A carga contentorizada é a que mais cresce, em termos absolutos, tendo passado de 3,6 milhões para 3,8 milhões de toneladas (mais 8% em termos relativos). Mas tem de perto a companhia da carga ro-ro, que dispara 748%, de 23,8 mil para 201,6 mil toneladas.

A ajudar ao recorde de movimentação de mercadorias, a carga geral fraccionada avança 3% em termos homólogos, de 566,2 mil para 585,5 mil toneladas.

Ao invés, os granéis sólidos recuam 4% para 1,3 milhões de toneladas, e os granéis líquidos cedem 1% para os 4,6 milhões de toneladas.

Em termos acumulados, Leixões continua a caminhar para um recorde de cargas movimentadas. Todavia, em Julho, o crescimento homólogo da actividade pouco superou o 1%, consequência de mais um “trambolhão” dos granéis líquidos. Todos os demais tipos de mercadoria estiveram em terreno claramente positivo.

Em Julho, Leixões processou 1,6 milhões de toneladas, valor que compara com os 1,59 milhões do mesmo mês de 2013.

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.