A melhoria das acessibilidades marítimas do porto de Leixões vai ser co-financiada pelo Mecanismo Interligar a Europa (CEF, na sigla em inglês), apurou o TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

CEF co-financia acessibilidades marítimas de Leixões

O projecto candidatado pela APDL foi um dos escolhidos para co-financiamento comunitário no âmbito da segunda tranche da “Blending Call” de 2017 do CEF.

O investimento candidatado ascende a 87,06 milhões de euros. O co-financiamenbto proposto é de 17,4 milhões de euros, 20% do montante total.

O projecto de melhoria das acessibilidades marítimas de Leixões compreende o aprofundamento do canal de acesso e da zona de entrada do porto exterior, de -15 e -12 metros, respectivamente, para -16,85 metros. Igualmente se realizará o aprofundamento da baía de rotação no porto exterior, de -12 para -15,5 metros.

A melhoria das acessibilidades é parte fundamental do plano que prevê para a criação de um novo terminal de contentores, a localizar na área do actual terminal multiusos, com capacidade para receber e operar navios de até 6000 TEU.

Na avaliação que faz do projecto, a INEA, a agência que gere estes processos para a Comissão Europeia, considera-o bom ou mesmo excelente. Mas alerta para o facto de não haver ainda contratos firmados, e também para que a aprovação da garantia no âmbito do Compete 2020 é uma condição crítica para fechar o financiamento.

Portugal recebe 22,2 milhões

Nesta chamada para apresentação de candidaturas ao CEF Transportes e ao CEF SESAR, Portugal apresentou sete propostas elegíveis para um co-financiamento de 31,2 milhões de euros.

Foram aprovadas cinco candidaturas, que implicam um apoio de 22,2 milhões de euros. Leixões, está visto, fica com a parte de leão.

As outras candidaturas foram todas apresentadas no âmbito do SESAR e envolvem a TAP e consórcios internacionais.

As escolhas da INEA terão agora de ser aprovadas pelos estados-membros da UE, devendo os contratos de co-financiamento serem firmados em Janeiro de 2019.

 

 

This article has 1 comment

  1. luís pereira

    E tudo por culpa da MINISTRA DO MAR ANA PAULA VITORINO que ao fim de 3 anos !!! ainda não conseguiu renegociar as 3 concessões portuárias de Portugal a saber : 1) Leixões & Aveiro, 2) Lisboa e Setúbal e o TXXI do porto de Sines, por favor demitam a Senhora já !!!!