O porto de Leixões fixou um novo recorde na movimentação de contentores, em 2019. Mas Sines recuou e o mercado terminou o ano no vermelho.

Leixões movimentou 685,8 mil TEU em 2019

No ano passado, Leixões movimentou 685,8 mil TEU, mais 2,3% que no exercício anterior e um novo recorde absoluto, divulgou hoje a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

De acordo com os números do regulador, todos os portos do Continente cresceram na movimentação de contentores. À excepção de Sines, o maior de todos, com uma quota de mercado (agora) de 52%.

Lisboa foi o porto que mais cresceu em termos absolutos, tendo atingido os 458,7 mil TEU (mais 7,1% face a 2018). Setúbal fez  melhor em termos percentuais (+10,8%) e chegou aos 136,6 mil TEU. Pela Figueira da Foz passaram 20,4 mil TEU, um aumento de 8,4%.

E Sines? Em Sines movimentaram-se 1,4 milhões de TEU, menos 18,7%, ou 327 mil TEU, que no ano anterior. Na sua análise, a AMT destaca os efeitos da greve dos estivadores do Terminal XXI, entre Maio e Agosto, e de um derrame de hidrocarbonetos, em Abril.

A quebra dos movimentos de contentores em Sines verificou-se exclusivamente nos tráfegos de transhipment (menos 382,8 mil TEU, ou 28%), já que os tráfegos com o hinterland aumentaram 55,7 mil TEU (14%), refere ainda o regulador.

Tudo considerado, no ano passado os portos do Continente movimentaram 2 724 699 TEU, menos 8,9%, ou 266 mil TEU, que em 2018.

 

This article has 1 comment

  1. A maior urgência é dragar e ampliar os canais de acesso aos terminais dos portos de Leixões e de Setúbal para poderem receber barcos de maior calado e Lisboa começa ficar irremediavelmente para trás !