O movimento de mercadorias no porto de Leixões no primeiro semestre regrediu 3% face ao período homólogo de 2015, para um total de 8,8 milhões de toneladas, anunciou a APDL.

TCL

 

O resultado global foi penalizado pela quebra nas movimentações dos granéis – líquidos e sólidos – já que todos os depois tipos de cargas cresceram na primeira metade do ano.

A carga contentorizada aumentou 11,9%, com a “ajuda” da greve dos estivadores que praticamente parou Lisboa e forçou o desvio de navios e mercadorias.

A carga ro-ro aumentou 30,75% e a carga fraccionada avançou 8,09%.

Janeiro foi, até ao momento, o melhor mês do ano, acrescenta a APDL, que sublinha o facto de as exportações do porto nortenho se destinarem a 184 países.

 

Comments are closed.