Em Setembro, o movimento de mercadorias em Leixões cresceu 27% e com isso o porto nortenho fechou o terceiro trimestre sobre a linha de água.

Leixões - TCGL

No mês nove, Leixões processou 1,7 milhões de toneladas, mais 27% que no mesmo mês de 2015, divulgou a APDL. Os granéis sólidos tiveram a melhor prestação, com uma subida homóloga de 52%, seguidos dos granéis líquidos, que avançaram 42%.

A carga contentorizada progrediu 9%, a carga geral fraccionada 7% e a carga ro-ro 2,6%, acrescentou a administração portuária.

Com este resultado, Leixões praticamente limpou as perdas de 4% acumuladas até ao final de Agosto. No final do terceiro semestre somava 13,6 milhões de toneladas, em linha com os 13,7 milhões verificados há um ano (os arredondamentos podem explicar a diferença).

Também aqui, a APDL destacou os ganhos acumulados da carga contentorizada (9,5%), da carga geral fraccionada (8%) e da carga ro-ro (21%).

Recorde-se que o movimento de granéis líquidos em Leixões tem sido afectado pela inoperacionalidade da bóia oceânica da Petrogal Os maiores navios não podem entrar no porto, pelo que a alternativa é recorrer a transbordos em Sines.

 

 

Os comentários estão encerrados.