Nos primeiros nove meses do ano, o porto de Leixões movimentou 13,7 milhões de toneladas, mais 4,1% que no período homólogo de 2014. A carga ro-ro é a estrela em ascensão, e só a carga contentorizada destoa.

Cobelfret

Até ao final de Setembro, a carga ro-ro, concentrada essencialmente nas operações da CLdN Cobelfret (agora com três saídas semanais), cresceu 85% e superou a fasquia das 500 mil toneladas, confirmando o porto nortenho como líder nacional no segmento (cada vez mais distante de Setúbal).

Em forte alta, e a puxar pelos números absolutos de Leixões, continua também a movimentação de granéis líquidos. Subiu 7,1% e passou de 5,7 milhões para 6,1 milhõs de toneladas.

Os graneis sólidos avançaram 14,8%, ou perto de 300 mil toneladas, e já valem 1,9 milhões de toneladas. A carga geral fraccionada progrediu 11,9%, quase 100 mil toneladas, e atingiu as 832 mil toneladas.

A impedir ganhos mais expressivos, a carga contentorizada continua em queda, a sofrer com o arrefecimento das exportações para Angola. Recua 8,7% para a casa dos 4,5 milhões de toneladas, com o movimento de contentores a baixar 6,2% para 459 767 TEU.

Tags:

Comments are closed.