O Porto de Leixões vai receber investimentos de 510 milhões de euros até 2026, anunciou a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

“O terminal de Leixões é um dos ‘top’ do sistema portuário nacional e, como tal, não pode deixar de ser um dos portos onde o maior investimento vai ser feito, está previsto para os próximos anos um investimento superior a 500 milhões de euros, a maioria do qual privado”, disse a governante, à margem do lançamento do Projecto de Literacia do Oceano – Escola Azul.

Do total de investimento previsto, Ana Paulo Vitorino explicou que 60% dele é privado, sendo o restante público.

As melhorias passarão pelo prolongamento do molhe e o aumento da profundidade do canal de acesso e bacia de rotação, pela construção de um novo terminal de contentores que vai permitir acolher navios maiores e pela requalificação do actual terminal de contentores Sul, adiantou.

“O que se pretende é não só aumentar a capacidade e eficiência do porto, como criar novos terminais com capacidade para receber navios maiores”, vincou.

A ministra referiu que algumas destas obras já estão em curso, estando as outras em estudos de engenharia ou a aguardar o Estudo de Impacte Ambiental.

O prazo previsto para a sua conclusão é 2026, apontou, dizendo que algumas delas estarão prontas ainda em 2021.

Os investimentos não se ficarão por aí, tendo Ana Paula Vitorino adiantado ainda que o Porto de Pesca não vai desaparecer, mas sim sofrer obras de requalificação.

“Vamos manter a capacidade do Porto de Pesca de Matosinhos, vamos mantê-lo com maior dignidade e qualidade. Vai ser assinado, dentro de pouco tempo, um protocolo entre o ministério e a Câmara, envolvendo a Docapesca, para a concretização de novas iniciativas no edifício, nomeadamente a sua requalificação”, frisou.

Perante isto, a presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, entendeu que era “inquestionável” que o Porto de Pesca tinha de se manter, mas requalificado, melhorado e modernizado.

Os pormenores deste projecto vão ser dados a conhecer com mais detalhe “dentro de dias”, ressalvou.

 

Comments are closed.