Depois da recuperação (?) de Julho, o movimento de contentores no porto de Leixões voltou a cair em Agosto, e a “culpa” é de Angola.

Porto de Leixões

No mês passado, o porto nortenho processou 50 983 TEU, avançou a concessionária do terminal de contentores. Na comparação com o mesmo mês de 2014, verificou-se uma quebra de 9,2%.

A TCL sublinha, contudo, que considerando apenas o tráfego de contentores cheios de carga local, a performance de Agosto foi até positiva em 2,5%, com um total de 34 088 TEU movimentados.

A principal causa da quebra dos movimentos reside, assim, insiste a concessionária, na retracção do mercado angolano (o mais importante para Leixões neste segmento) e no efeito “bola de neve” que provoca também na movimentação de contentores vazios (de reposicionamento), que será a mais penalizada.

Com mais este “afundanço”, Leixões acusa uma quebra de 5,7% na movimentação de contentores nos primeiros oito meses do ano (face ao período homólogo de 2014), com um total de 411 765 TEU, refere a TCL.

 

 

 

Comments are closed.