O novo concurso para a linha de AV Lisboa-Poceirão, que o Governo se propõe lançar em Novembro, não deverá contemplar a ligação ao novo aeroporto de Lisboa.

A opção de não incluir na PPP o troço de cerca de 20 quilómetros, deverá permitir cortar o investimento em cerca de 250 milhões de euros. O que, conjugado com a concentração de apoios comunitários e com outras alterações de pormenor no caderno de encargos, permitirá reduzir as necessidades de financiamento bancário e, logo, tornar mais viável a concretização do troço em falta na linha de Alta Velocidade Lisboa-Madrid.

Uma vez que a linha AV Lisboa-Madrid não passará pelo novo aeroporto, a ligação ao NAL, em Alcochete, só será necessária quando o aeroporto estiver operacional. O que está previsto para 2017 (quatro anos depois do prazo previsto para o Lisboa-Madrid) mas poderá acontecer ainda mais tarde, dado o concurso ainda não ter sido lançado.

A ser assim, a construção da ligação Lisboa-NAL poderá ser lançada a concurso, em regime de empreitada pública, ficando a gestão a cargo da Rave, ou mesmo da Naer, no caso de se optar por incluir a obra na concessão do novo aeroporto, uma vez que se trata de acessos à infra-estrutura.

O Governo confirmou há dias a anulação do concurso para a PPP Lisboa-Poceirão, incluindo a TTT, mas o ministro António Mendonça reafirmou entretanto a intenção de lançar novo concurso, em Novembro próximo.

Os comentários estão encerrados.