A electrificação da linha férrea entre a fronteira portuguesa e Medina del Campo deverá ficar concluída em 2015, com isso potenciando o tráfego de mercadorias de Portugal para a Europa.

O assunto foi tratado no encontro, em Lisboa, entre o ministro da Economia português e a ministra do Fomento espanhola. A ideia é rendibilizar a linha convencional, de bitola ibérica, para o tráfego de mercadorias, enquanto se trabalha na concretização do Corredor Atlântico, com os constrangimentos da austeridade que se impõe aos dois países.

O facto de a linha entre a fronteira luso-espanhola e Medina del Campo não estar electrificada obriga ao recurso à tracção diesel em todo o percurso espanhol, ou à troca de locomotivas diesel por eléctricas (ou vice-versa) a meio do percurso, o que custa tempo e dinheiro.

Os ministros ibéricos afirmaram o empenho na ligação a Irun em bitola europeia, mas destacaram a necessidade de adequar as intervenções previstas às necessidades e aos tempos de austeridade.

“Ambos os governos concordam com a necessidade de envolver a França no projecto dum verdadeiro corredor europeu”, foi dito no comunicado final. Certamente, uma alusão à intenção de levar Paris a fazer coincidir a sua ligação à fronteira com a Península com os timings do lado de cá dos Pirinéus.

Acordada foi ainda a constituição de um grupo de trabalho para avaliar a ligação Porto – Vigo. Do mesmo modo que serão criados ou reactivados grupos de trabalho para tratarem de matérias como o Lusitânia comboio-hotel ou a implementação dos blocos funcionais de espaço aéreo, previstos no quadro do Céu Único Europeu.

Comments are closed.