A construção da linha férrea que ligará a região de Moatize, em Moçambique, ao corredor de Nacala deverá ficar concluída em 2014, anunciou o presidente da Vale, companhia que suportará o investimento.

A ligação ao denominado Corredor do Norte permitirá o acesso ao porto de Nacala, que assim servirá de alternativa para o escoamento do carvão de Tete, suprindo as limitações da linha do Sena, que liga ao porto da Beira.

Nacala dispõe de um porto de águas profundas, com condições para receber os grandes navios da companhia brasileira, que assim exportará os milhões de toneladas de carvão extraídos anualmente da região de Moatize.

Falando no lançamento das operações mineiras em Moatize, o presidente da Vale, Roger Agnelli, disse, citado pelo “Notícias” do Maputo, que o projecto [da ligação ao Corredor do Norte] está a ser avaliado, acrescentando que a sua construção representará a sobrevivência da extracção de carvão na província de Tete.

Agnelli reiterou o grande constrangimento que representa a limitação da capacidade de transporte da linha de Sena, que apenas conseguirá escoar quatro milhões de toneladas por ano, depois das melhorias pontuais que estão a ser feitas pela Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique.

A nova linha férrea, com uma extensão estimada em 900 quilómetros, terá um custo avaliado em dois mil milhões de dólares.

Comments are closed.